Adoro Twitter, não nego, paro quando parar de ser legal.

Usando a rede do passarinho há alguns meses, fiz umas constatações que me pareceram interessantes:

• Meus amigos e alguns dos meus artistas preferidos são insones (No caso dos artistas, gosto e sigo os perfis verdadeiros, com tuitadas de coração. Se fosse pra ver só a agenda ou a simpatia em dar bom dia ou boa noite, bastava entrar no site oficial);

• Seguir alguém e ser seguido de volta tem o mesmo peso que trocar telefones, e é importante ter esta consciência;

• Posso estar sendo leviana, mas arrisco afirmar ser possível conhecer um pouco do caráter de uma pessoa pelas postagens nas redes sociais. Gente que maldiz o próprio trabalho na maior parte do tempo; que joga indiretas destrutivas para ex-namoradas(os) ou usa o Twitter para cantar Deus e o mundo não me parecem ser diferentes disso na vida real.

• Cuidado, o seu chefe pode estar lendo o que você posta;

• Atenção, sua namorada, sua ex ou sua paquerinha podem estar, neste minuto, lendo o que você escreveu lá mais cedo;

• O seu irmão cagueta também pode descobrir o que você fez no fim de semana passado – em tempos de Instagram, as notícias correm daqueeele jeito;

• Ao criar ou manter sua conta, defina se quer seguidores ou não. Algo como @chrrystinnaiole_836 é difícil de entender, de anotar, de memorizar. Um @buraquynho é hilário, mas convenhamos…;

• Quer fazer amigos na rede social? Quer falar besteira? Quer discorrer sobre um tema específico? Depois de decidir sobre isso, deixe claro no seu avatar e na sua bio. A primeira impressão é a mais impactante. (Lembre do Orkut, não dá uma descrença da vida quando você vê uma foto da Katy Perry e um perfil com os dizeres: “Posso ser um doce ou um veneno, dependendo da doze. Voçê não vai se arrepender de me conheçer!”?)

Leia também:  Megan Fox interpretará lésbica na série New Girl.

 

E aí você acorda de manhã e vê aquela pessoa super interessante online. Dá um bom dia, recebe uma reply, à noite vocês se esbarram virtualmente de novo, conversam sobre uma amenidade qualquer e isso se repete por semanas. Você começa a passar um tempão olhando as fotos dela, lê o histórico de tuitadas… “RT” vai, “RT” vem e vocês trocam telefones, MSN, Skype, Facebook… E você se apaixona. O pequeno “detalhe” é que o seu status é disponível, o dela, não. Cuidado. Mesmo as sereias mais encantadoras podem ficar presas na rede e saírem estilhaçadas.

 

Os mares por onde você tem navegado estão calmos? Conta pra gente!

 

[hr]

Written by Ma
Ma. A autora dessas linhas que você acabou de ler, entre outras coisas.