Com custo de apenas R$ 50 mil (quase nada perto do que vemos em capitais como São Paulo), a campanha de Rênya Medeiros, 37, a levou até o cargo de Prefeita do município de Passira, no Agreste do Pernambuco, com uma diferença de 116 votos a mais que seu adversário. E, como todas podemos imaginar, essa missão não foi nada fácil!

Com o apoio da companheira Karla da Silva, 26, a ex-agricultora sofreu violência homofóbica durante todo o processo de eleição, tendo que aturar até mesmo candidatos jurando o fogo do inferno aos seus eleitores. Mas não foi pela orientação sexual que a prefeita Rênya ganhou popularidade, mas sim por conta das entregas de água com carro-pipa promovidas por ela já há muitos anos no município, que sofre muito com fortes secas e falta de chuva. Foi fazendo de verdade pelo povo que ela ganhou votos!

Apesar do grande preconceito que ronda a cidade, a maior parte dos votos que a elegeram veio de pessoas idosas. Questionada sobre o que teria motivado isso, respondeu: “Dou muita atenção a eles e acho que isso conquista os idosos.”

A prefeita faz parte de um grupo LGBT – o único de Passira – que discute políticas públicas, mas o programa de governo dela não pretende levantar essa como sua única bandeira e sim como uma das tantas que pretende defender.

Após terem até duvidado de que Rênya é realmente uma mulher lésbica, a prefeita pondera sobre como será sua abordagem em relação ao assunto: “Vou montar na prefeitura um grupo para discutir a realidade das pessoas LGBT. Tem quem ache que a gente não é normal, que não somos de Deus. Escutei muito isso. É preciso mais conscientização.”

Leia também:  No cinema: "De Pernas Pro Ar 2" - (RESULTADO CONCURSO)

Já pode bater aquele orgulho? 😉

Written by Bianka Carbonieri
Autora do Sapatômica - 25 anos, taurina, mora em São Paulo. Workaholic assumida, estudante e Psicologia. Ítalo-brasileira, é viciada em café e lasagna.