Segundo a USAF Academy, Kristin Goodwin, militar abertamente lésbica, foi escolhida para liderar a Academia de Força Aérea dos EUA, assumindo a partir de maio.

Em tempos de Donald Trump, em que a comunidade LGBT luta para não permitir que o preconceito se espalhe novamente pelo país e haja regresso, essa é uma enorme vitória! Kristin tem esposa e dois filhos, uma família condenada pelos tradicionais republicanos, e a presença dessa família no dia a dia da Força Aérea é histórica e pode trazer mudanças muito positivas.

E ela já chegou causando, porque um tal Gordon James Klingenschmitt está tentando juntar forças para impedir que essa posse aconteça. A preocupação do ex-militar é que Goodwin não dê a devida atenção para as preocupações dos líderes de grupos conservativos, se ela respeitará a liberdade religiosa e se ela vai acabar se tornando uma ativista anti-cristianismo.

Mas sabemos que as ações de Klingenschmitt não irão para frente e muito menos surtirão qualquer efeito, afinal.

O importante mesmo é que apenas a presença de uma mulher lésbica nesse patamar já é de grande representatividade; e representatividade é vida!

Written by Bianka Carbonieri
Insta: @bsapatomica | 26 anos, taurina, mora em São Paulo. Workaholic assumida, estudante e Psicologia, é viciada em café e lasagna.