A gente sabe o quanto ser LGBTIQ abertamente nessa sociedade tem um preço: ser lembrado, visto e reconhecido pela maioria das pessoas como apenas uma coisa, ser LGBTIQ. É como se o fato de fazermos parte dessa comunidade apague tudo mais que somos como indivíduos e passássemos a ser única e exclusivamente a nossa orientação sexual, que deveria ser apenas uma característica de tudo que somos.

Foi por isso que esse pai, além de ter ganhado o prêmio de paizão do ano, viralizou com a camiseta que ele usou durante a World Pride de Madrid (tipo uma Parada do Orgulho LGBTQ dos Europeus).

Entre os carros alegóricos e cartazes, a camiseta de Juan Carlos dizia:

“MINHA FILHA É
Inteligente, divertida, simpática, bonita,
boa estudante, cheia de inquietudes,
sorridente, agradecida, carinhosa, atenta,
familiar, extrovertida e especial.
O problema é seu se você só a enxerga como
LÉSBICA.”

A frase emociona e é um grande, sincero, verdadeiro e válido protesto!

Quantas pessoas sofrem violência motivada por lgbtfobia, ou são até mesmo mortas, pelo fato de que intolerantes não conseguem enxergá-las como seres humanos reais, com famílias, conquistas e sonhos. Enxergam apenas um título que odeiam e nada mais. Por isso batemos tanto na tecla da representatividade e visibilidade: a simples oportunidade de mostrar ao mundo que somos muito mais do que apenas lésbicas.

Que bom ver uma mensagem boa assim de vez em quando. Renova a esperança!

Written by Bianka Carbonieri
Insta: @bsapatomica | 26 anos, taurina, mora em São Paulo. Workaholic assumida, estudante e Psicologia, é viciada em café e lasagna.