Homossexual Por quê?

Parece que o grande avanço científico, desenvolvido pela humanidade nos últimos tempos, fez com que cientistas buscassem respostas para diversos fatores que, até então, poderiam nunca ter sido questionados. Foi assim que vários pesquisadores resolveram descobrir por que algumas pessoas gostam do mesmo sexo enquanto a maioria delas se sente atraída pelo sexo oposto. Então, gay nasce gay? Vira gay? Escolhe ser gay? Pode deixar de ser gay?

Imagino eu que, enquanto alguns desses pesquisadores podiam – sim – buscar informações científicas livres de pré-conceitos ou pré-julgamentos, outros dedicavam suas vidas a descobrir a causa da homossexualidade por meio de questões pessoais e sociais. Assim, ela poderia finalmente ser afirmada como uma doença, com uma causa genética ou bioquímica qualquer e, a partir daí, estaria na hora de buscar uma boa cura. Vários trabalhos foram feitos com homens, mulheres, crianças, gêmeos idênticos e fraternos que viveram juntos ou separados e, até onde o meu conhecimento vai, nenhum chegou nem perto de uma resposta que sirva como verdade absoluta para qualquer uma das dúvidas que se relacionem à causa da homossexualidade.

Mesmo assim, esses estudos existiram e chegaram às mais variadas conclusões possíveis, que incluíam fatores biológicos, comportamentais e religiosos. Entre as possíveis causas biológicas para a homossexualidade, já li por aí afirmações de que a ela pode ser causada por falta ou excesso de testosterona durante a gestação, ter causas genéticas e/ou hereditárias (assim como o formato da boca e do nariz), ser causada por um alto nível de estresse durante a gravidez e por várias outras coisas que vêm sendo testadas durante os anos. Há também aquelas que dificilmente podem ser comprovadas, e que estão relacionadas ao determinismo, a como o meio em que a pessoa vive pode determinar o que ela será e como se comportará. Assim, já foi afirmado que uma pessoa se torna ou pode se tornar gay por ter sofrido abuso sexual na infância, ter crescido em um meio onde os papéis do pai e da mãe não eram claros ou não havia um patriarcalismo muito bem instituído ou somente por fazer parte de uma família que não era bem estruturada. Além disso, há que acredite que rituais espirituais realizados por algumas religiões têm o poder de mudar a orientação sexual de uma pessoa.

Foi principalmente a partir disto que já fomos considerados pessoas anormais por muito tempo. Pessoas para as quais chegaram a existir tratamentos como os de castração química ou física, locais especializados em “curar” gays, e até especialistas que garantiam livrar as pessoas do que era considerado um grande mal, um pecado imperdoável. Se você imagina que isso está longe de ser parte da realidade na qual vivemos, vai se assustar ao descobrir que mesmo aqui, no Brasil, já existiu quem tentou dar aos gays o direito ao tratamento de seu transtorno¹.

Leia também:  Obama apoia casamento gay e arrecada U$1 milhão em campanha.

Apesar desses grandes absurdos, o que me intriga mesmo é a evidente necessidade de explicar a homossexualidade, de dizer que ela é causada por isso ou por aquilo, quando na minha cabeça ela simplesmente deve ser respeitada. Cada um de nós tem o direito de pensar criticamente sobre tudo e, desse modo, poder entender que a atração por pessoas do mesmo sexo não deve ser aceitável por diversos motivos. É justamente por isso que a luta por aceitação não deve ser travada e que a por respeito não deveria ser necessária. Ninguém precisa aceitar um filho ou um colega de trabalho gay, mas tem o dever de respeitar a opção/orientação alheia, seja qual ela for.

Será que é mesmo possível generalizar e dizer que todo homossexual ou nasce gay ou vira gay? Na minha concepção, o ser humano é dotado de uma complexidade grande demais para que se possa fazer restrições a esse ponto. Se pensarmos em homossexualidade e heterossexualidade como dois extremos, o que estaria entre eles? A bissexualidade? Então será que se não existisse nenhum tipo de barreira social – psicológica, religiosa ou moral – que permita, toda e qualquer pessoa, em alguma parte de sua vida, sinta vontade de saber como é se relacionar com o mesmo sexo? Digo isso porque acredito que muitas pessoas deixaram de ser plenamente felizes por não poderem vivenciar essa dúvida ou se livrarem dela. De maneira alguma acredito que uma pessoa sensata acorda e pensa: “Hoje eu vou ser gay, mas acho que na festa de amanhã vou ser hetero”.

Eu gostaria que um desses estudiosos me explicasse: Por que a homossexualidade é um problema tão grande? Por que é tão necessário mudar uma condição que sempre existiu e sempre vai existir, uma coisa que simplesmente é assim desde que o mundo é mundo? Homossexuais não são pessoas depravadas e que certamente trarão danos à sociedade. Nós somos pessoas iguais a todas as outras: podemos ser felizes, amar, ter uma família e fazer o que todo mundo faz.

Concluo, então, dizendo que acredito sim que se existem pessoas que querem ser curadas, não é por não quererem ser quem são, mas sim por não poderem.

 

¹- http://brasil247.com/pt/247/poder/44591/Deputado-apresenta-projeto-para-%27curar%27-gays.htm

Acha que eu exagerei? Então clique AQUI e AQUI.

 

[hr]

 

Written by Rafaela

É estudante, mãezona de todo mundo e bi. Tem 21 anos e ama a família!