Na noite da última sexta-feira, 5 de outubro, rolou uma pesquisa pra escolhermos o tema deste post: sexo? timidez? religião? E a sugestão que acendeu uma lâmpada na minha humilde cabecinha foi a do meio, porque em sexo e em Deus eu já penso muito; mas sobre timidez – que foi um obstáculo que consegui vencer ao longo dos anos -, não tanto mais.

A primeira pessoa que pediu um help no assunto se chama Cristiane Ribeiro, é fotógrafa, no tuíter atende como @banalogias e, logo de cara, pela foto postada em seu perfil, dá pra ver que é tímida mesmo. Reparou na posição encolhidinha dos ombros da Cris? Mesmo que você não tenha lido O Corpo Fala, decifrou essa mensagem facilmente porque temos essa capacidade nata de leitura da linguagem corporal.

 

A Cris se diz tímida, mas nas mais de 8 mil tuitadas ela é até bem saidinha… Para escrever este post, fui lá fazer uma pesquisa (vulgo stalkeada), e achei umas pérolas:

1. “Minha irmã disse que lê meu twitter. Cabo vida, cabo nárnia, cabo tudo.”
2. “Sobre o Festival do Rio na praia de Copa: me apaixonei umas 9 vezes essa noite hahah”
3. “Cozinho tão mal às vezes que acabo de comer e já acho que vou morrer.”
4. “dieta also known as tortura.”
5. “Voz, porque tão grave?”
6. “A praia tá lindaaaaa. Mas não tão linda quanto a minha preguiça de ir até lá…”

Enquanto eu ainda pensava na discrepância entre os tweets divertidos da moçoila carioca versus sua auto-afirmação de timidez, acionei dona Biankinha (vulgo Dicuy, conhecidíssima de vocês nesse site principalmente pelos posts calientes) no whatsapp e veja bem a conversa na íntegra:

Eu: – Dicuy amor, já teve post sobre timidez?
Biankinha: – Oi, amorrr! Not. ^^
Eu: – Mmmmmm! Acho que vou fazer então.
Biankinha: – Gostiiiii… Se precisar de uma entrevista, tá aqui uma tímida nata. hahaha
Eu: – Toma vergonha na cara, sô! Tímida onde??
Biankinha: – kkkkkk Só não sou pra fazer amizade. Pra xavecar é um sofrimento!! 

E a conversa terminou com o acerto de detalhes sobre a balada do fim de semana onde muito provavelmente vou vê-la xavecando milhões de moliéres. Aí eu pergunto a você: onde está a timidez dessas duas pessoas? Talvez numa gaveta pequena, tipo aquela em que ficam guardadas as calcinhas e as meias.

Leia também:  Minha ex-namorada agora é amiga dos MEUS amigos!

Tem gente que sua frio só de pensar em falar em público, mesmo que para poucas pessoas. Tem gente que se treme inteira só de cogitar a possibilidade de fazer um telefonema importante. Há quem morra de vergonha até de ouvir a própria voz! Entretanto, a menos que o medo seja patológico, como uma síndrome do pânico em que apenas especialistas de psicologia e psiquiatria podem ajudar, é muito simples superar a timidez. Agora você, que talvez se ache uma pessoa muito tímida, estatela os olhinhos neste momento em frente ao monitor e faz aquela cara de indagação: “Como?” o.O E eu lhe apresento a listinha com algumas coisas que funcionaram comigo:

 


• Lembre-se que todos os seres humanos são iguais em capacidade de realização, de emoções, de expectativas… As pessoas mais bem sucedidas do mundo se esforçaram muito para chegar lá e durante a jornada colecionaram erros, fracassos e respostas negativas.

• Gaguejar, levar um tombo, ouvir um “não” nunca mataram ninguém.

• Use roupas que te façam se sentir confiante e mantenha uma postura corporal confiante. Mantenha a coluna ereta (mesmo que você esteja tremendo de medinho por dentro). Olhe nos olhos das pessoas. Quando você transmite uma imagem de confiança e credibilidade, as pessoas passam a te tratar com confiança, credibilidade e respeito.

• Desafie-se. Tem medo de falar em público? Comece contando uma piada, algum fato curioso, ou dê a sua opinião sobre um assunto importante na sua rodinha de amigos, depois faça isso com os colegas de trabalho e por aí vai…

• Leia em voz alta, de preferência na frente do espelho.

• Cante no chuveiro.

• Dê uns gritos de vez em quando.

• Gasta alguns minutos por dia admirando o seu corpinho nu. Você não pode ter vergonha de si mesma.

• Sempre vai existir alguém que se sinta mais tímido que você. Tenha em mente que nós, seres humanos, somos interdependentes e precisamos de interações sociais pra viver e pra sermos felizes. Quebre a barreira apenas imaginária entre a sua suposta timidez e o mundo. Quebre o gelo. Divirta-se, apenas.

 

Um beijo e até semana que vem! ;*
Ma.

 

 

Written by Ma

Ma. A autora dessas linhas que você acabou de ler, entre outras coisas.